Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Corredores Logísticos Estratégicos

Publicado: Quinta, 22 de Fevereiro de 2018, 09h27 | Última atualização em Quinta, 27 de Dezembro de 2018, 11h57

 

O Projeto Corredores Logísticos Estratégicos tem como objetivo apresentar uma visão panorâmica e diagnóstica do momento atual da infraestrutura de transportes voltada para o escoamento das principais cargas do país: Soja e Milho; Minério de Ferro; Veículos Automotores; Combustíveis; Açúcar; e Carnes . Além do transporte de carga, o estudo abordará também temas estratégicos relacionados ao transporte de passageiros, integração e defesa nacional, os quais o Governo também atua como promotor de infraestrutura.

Na metodologia estabelecida, além de reuniões específicas com as áreas envolvidas, são realizados workshops com o setor produtivo e órgãos públicos com o objetivo de discutir o projeto, obter a visão dos setores público e privado e validar os resultados identificados junto às partes interessadas, contribuindo para legitimar e aperfeiçoar o trabalho desenvolvido. Foram produzidos quatro estudos, que contemplam o diagnóstico e análise das rotas de escoamento do complexo de milho e soja, do complexo de minério de ferro, de veículos automotores e do complexo da cana-de-açúcar, respectivamente. O quinto volume está em desenvolvimento e analisa as principais rotas do transporte interestadual de passageiros.

 

Publicações

Volume I - Complexo de Soja e Milho

A primeira etapa do projeto contemplou o mapeamento e diagnóstico das rotas de escoamento do complexo da soja e do milho, contou com a identificação dos fluxos de carga e volumes, o mapeamento dos corredores logísticos e levantamento das necessidades e ações realizadas para solução dos entraves de escoamento. Para realização do estudo, o Ministério formou parcerias importantes com o setor público e privado: MAPA, MPDG, EPL, DNIT, VALEC, ANTT, ANTAQ, CONAB, IPEA, CNA, APROSOJA, ABIOVE, ACEBRA e ANUT.

 

Volume II - Minério de Ferro

O segundo volume mapeou e diagnosticou os corredores logísticos de transportes do minério de ferro e ferro gusa, com o mapeamento de volumes, origens e destinos, fluxos, necessidades e ações direcionadas ao melhoramento do escoamento da produção. Representantes de instituições públicas e privadas participaram deste estudo: MME, EPL, DNIT, VALEC, ANTAQ, ANTT, DNPM, CPRM, IPEA, CNT, SINDIFER, IBRAM, SINFERBASE, ANUT, ANTF, ABRALOG, ABCR, ABOL, VALE.

 

Volume III - Veículos Automotores

Com informações consolidadas sobre o setor, a publicação avaliou, em todo o território nacional, a movimentação logística de importação/exportação e distribuição de veículos automotores, desde a sua origem, nas regiões onde estão localizadas as fábricas até os pontos de exportação e sua distribuição interna, incluindo-se aí os veículos importados já internalizados no mercado nacional para as distribuidoras. O estudo contou com parcerias importantes tanto do setor público como do setor privado: MTPA, MDIC, EPL, DNIT, VALEC, ANTT, ANTAQ, IPEA, ANFAVEA, FENABRAVE, ABEIFA, FORD, FCA, GM, SINDIPEÇAS, ABRALOG, ANTF, ANUT, VALE, ABRALOG e ABCR.

 

Volume IV - Complexo da Cana-de-Açúcar

O quarto volume do projeto apresenta os corredores do Complexo da Cana-de-Açúcar, que avaliou o transporte da exportação do açúcar até os portos e do consumo interno do etanol até as bases de distribuição. O estudo possui as etapas: levantamento dos volumes de carga, elaboração das matrizes origem-destino, identificação dos fluxos de carga, identificação da rede viária e rotas de escoamento, mapeamento e análise dos corredores logísticos. Para realização do estudo, o Ministério contou com parcerias importantes do setor público e privado: MME, Conab, ANP, EPL, DNIT, VALEC, ANTT, ANTAQ, IPEA, COPERSUCAR, ALCOPAR/PR SINDAÇÚCAR/AL, SIAMIG/MG, SINDALCOOL/MT, SINDALCOOL/PB, BIOSUL/MS, SIFAEG/GO, Petrobras, FNS, CNA, Raízen, ABRALOG, ANTF, ANUT, Rumo Logística, MRS Logística, Logum Logística, BP Biocombustíveis.

 
 

Notícias Relacionadas

Fim do conteúdo da página