Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Publicações Diversas

Publicado: Terça, 25 de Novembro de 2014, 14h36 | Última atualização em Quinta, 18 de Dezembro de 2014, 10h00

Agência Nacional de Petróleo - ANP

Gás natural liquefeito no Brasil

Trabalho que sintetiza a experiência adquirida pela ANP no processo de implantação de projetos de GNL no País e, em particular, o aprendizado na emissão das outorgas.

 


Indústria do Gás Natural

Regulação Atual e Desafios Futuros

Apresentação de Notas Técnicas visando montar uma base de dados que consubstancie as decisões dos reguladores e dos temas que assumirão importância crescente à medida que a indústria de gás natural se consolidar no Brasil.


Perspectivas para o Desenvolvimento do Refino de Petróleo no Brasil

Estudo sobre a atividade de refino de petróleo no Brasil que visa orientar uma reflexão sobre o futuro deste segmento estratégico da indústria do petróleo.



Aprendendo a Exportar

Simulador de Preços de Exportação

Planilha que simula preços para exportação de produtos, cruzando informações das modalidades de “Incoterms” com os Preço de Mercado Interno, o percentual Componentes do Preço no Mercado Interno, os Componentes do Preço no Mercado Interno e de Exportação, Percentual do Lucro desejado na Exportação para obter o Preço de Exportação em moeda nacional e em dólar.



Avança Brasil

Programas Estratégicos: Relatório de Situação de Novembro/Dezembro de 2002
Divulga os resultados dos programas que fazem parte das 54 prioridades estratégicas do Plano Avança Brasil 2000-2003, constantes da Agenda de Governo para o biênio 2001-2002.


Banco Internacional de Desenvolvimento - BID

Regiões Metropolitanas no Brasil: Um Paradoxo de Desafios e Oportunidades (Tese)

Resultado de estudo acerca do paradoxo que representa importância das regiões metropolitanas para o desenvolvimento brasileiro e a fragilidade de seus mecanismos de governabilidade e de financiamento, enfoca questões de governança e financiamento metropolitano, que vêm retomando importância na agenda nacional, contribuir para o desenho de políticas públicas que possam melhorar a qualidade de vida nas cidades.


Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE

Análise de Demanda - Versão PúblicaAnálise de Demanda - Versão Pública

Na análise antitruste o lado da oferta constitui um ponto central, pois sintetiza as variáveis que condicionam o comportamento das firmas (apreçamento, propaganda, entrada no mercado, estrutura de custos no relacionamento com consumidores).



FECOMÉRCIO

Pesquisa Conjuntural Comércio Varejista do Distrito Federal - Fevereiro 2011

O projeto tem como objeto a avaliação conjuntural das flutuações ocorridas no desempenho de vendas, nível de emprego e formas de pagamento no Distrito Federal. Estes três indicadores, considerando dados históricos, têm a capacidade de aferir as principais mudanças ocorridas por forças de influências macro econômicas, de legislação e efeitos sazonais.

 
IPEA - 1600 textos para discussão

Tem como objetivo divulgar resultados de estudos direta ou indiretamente desenvolvidos pelo IPEA, os quais por sua relevância levam informações para profissionais especializados e estabelecem espaços para sugestões.



Ministério do Planejamento

PAC 2 - 2º Balanço (outros)

Segundo balanço do PAC 2, que comparado à sua primeira fase, trata-se de um novo ciclo de planejamento e preparação de grandes investimentos em infraestrutura logística, energética, social e urbana, e mantém e planeja ao mesmo tempo, milhares de empreendimentos espalhados por todo o território nacional.



Ministério Público da União

Relatório de avaliação: Plano Plurianual 2008 – 2011

Avalia os objetivos setoriais e dos programas sob sua responsabilidade.

Portal Brasil - Transportes

Informações e mapas sobre hidrografia, transportes, solo, vegetação, geologia, população, clima e meio-ambiente, economia e comunicações, etc.

 

ABRATEC

Adicional de Risco

Relações entre trabalhadores portuários avulsos e trabalhadores com vínculo empregatício que atuam junto aos operadores e terminais portuários.


Agência Nacional de Transporte Aquaviário - ANTAQ

Anuário Estatístico Portuário

Resultados da movimentação nos Portos Organizados e nos Terminais de Uso Privativo. As estatísticas fornecem instrumentos para a tomada de decisão, em relação à avaliação e planejamento da atividade portuária e para a regulação e fiscalização dos portos organizados e dos terminais privativos.

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2009

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2008

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2007

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2006

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2005

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2004

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2003

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2002

- ANTAQ - ANUÁRIO ESTATÍSTICO 2001


Boletins Portuários
Movimento da tonelagem de cargas nas instalações portuárias brasileiras.

- 1° Trimestre 2011

- 2° Trimestre 2011

- 3° Trimestre 2011


Modelo Ambiental

Direitos e deveres sob abordagem do tema meio ambiente: o direito de usufruir e o dever de preservar. Comprometimento da ANTAQ na atuação desse equilíbrio da natureza, nesse sentido esta instituindo mecanismos para o total atendimento quanto as questões ambientais em todos os portos.

O Porto Verde: Modelo Ambiental Portuário

Questões ambientais relativas à atividade portuária, como um instrumento efetivo de apoio à construção do ambiente ecologicamente equilibrado, que nos exige a Constituição.

Resolução Nº 1.660 - ANTAQ, de 8 de abril de 2010

(Rerratificada pela Resolução Nº 1695-ANTAQ, de 10 de maio de 2010, DOU de 19/05/2010) n° 1.660
Norma para outorga de autorização para a construção, a exploração e a ampliação de terminal portuário de uso privativo.


Subisídios técnicos para identificação de áreas destinadas à instalação de portos organizados ou autorização de terminais de uso privativo em apoio ao plano geral de outorgas revisão e ajustes da base de dados georreferenciada (Relatório Final).

Informações sobre os fluxos de carga e as regiões onde há potencial para movimentação, relacionado às questões ambientais. O Plano Geral de Outorgas - PGO privilegiou a multimodalidade, fator fundamental para definir as novas áreas com possibilidades para instalação portuária, prevendo a criação do programa de arrendamento das instalações dos portos públicos existentes, a ser elaborado pelas autoridades portuárias.

 

CDC

Plano Diretor

Alternativa de desenvolvimento e zoneamento do Porto de Fortaleza, que busca obter o atendimento às demandas através do melhoramento das instalações existentes.


Regulamento do Porto

Regulamento que estabelece condições básicas e disciplinadoras das atividades no Porto Organizado de Fortaleza, pertinentes ao funcionamento, aos serviços, à utilização de instalações e infra-estruturas, às relações harmônicas e integradas entre a Administração Portuária, às autoridades com função nos portos, aos operadores portuários, aos usuários e trabalhadores.


CNI

Principais questões levantadas pelos usuários dos sistemas marítimos e portuário

Principais atividades e reivindicações dos setores, representando os usuários do sistema portuário e do transporte marítimo, e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários - ANTAQ.


Reforma portuária: o que falta fazer

A CNI apresenta a publicação “Reforma Portuária: o que falta fazer”, que defende a gestão privada nas administrações portuárias.

 

GEIPOT

A Reforma Portuária Brasileira - 2001

Relatório sobre a Reforma Portuária, resultado de estudos e análises realizadas pelo GEIPOT e por técnicos do Banco Mundial, bem como dos debates entre dirigentes e empresários do subsetor. O objetivo é avaliar o comportamento do Subsetor Portuário Brasileiro frente às reformas introduzidas a partir da promulgação da nova lei dos portos.

Programa de Desestatização dos Portos – 2000

Importância do desempenho portuário nacional como peça fundamental para que sejam cumpridas as metas para o início do milênio. Nesse sentido o MT lançou o Programa Nacional de Desestatização nos Portos.

 

Ministério Dos Transportes

Relatório de Gestão da Companhia de Docas do Estado do Maranhão.

Relatório de atividades, no qual são evidenciados os fatos mais importantes da gestão orçamentária, financeira e patrimonial além de atos administrativos.

Relatório de Gestão da Companhia de Docas do Estado do Maranhão – 2007

Relatório de Gestão da Companhia de Docas do Estado do Maranhão - 2006

Relatório de Gestão da Companhia de Docas do Estado do Maranhão - 2005

registrado em:
Fim do conteúdo da página